27 de abr de 2012

Filme: Ameaça Terrorista

Ficha técnica

Título Original: Unthinkable
Título Nacional: Ameaça Terrorista
Ano de Lançamento: 2010
Gênero: Drama / Policial / Ação
Duração: 96 minutos
Classificação:

Sob constante ameaça terrorista, os EUA não podem baixar a guarda. Neste thriller psicológico, o país norte americano enfrentará um filho de sua própria nação, Younger (Michael Sheen), que se converteu ao islamismo e armou três bombas atômicas em diferentes cidades americanas. Apesar de Younger ser facilmente localizado e preso, ele não dá as coordenadas de onde as bombas estão. É quando entra em cena o investigador H (Samuel L. Jackson) e Helen (Carrie-Anne Moss) uma agente do FBI, que terão que pressionar o terrorista para descobrir a localização exata das bombas, numa corrida alucinante contra o tempo. Um thriller que irá te surpreender e te fazer pensar no inimaginável.

Embora o filme seja de 2010 é um filme muito atual, com um tema oportuno que sempre está em destaque na mídia – atentados terroristas motivados pela fé.

É um suspense psicológico que faz o espectador roer as unhas – e os dedos – de tanta tensão.

Não há muito o que dizer da trama em si, uma vez que não tem mistério, é o que foi dito na sinopse e ponto, mas é o desenrolar disso que nos deixa agoniados, parecendo que tem pulga na cadeira.

Younger se converteu ao islamismo e armou três bombas em locais estratégicos no país, juntas ela tem a capacidade de matar em torno de seis milhões de pessoas (!).

O que ele queria não era só armar as bombas e ver o circo pegar fogo, ele queria estar dentro do circo, ele se deixa localizar propositalmente e vai preso para dar as coordenadas da localização da bomba, mas qual a surpresa em saber que ele não vai cooperar?

É aí que entra em cena ao investigador H, com seus métodos nada convencionais – nada convencionais mesmo.

Quais métodos? Tortura, da mais pura e bizarra possível, desde a lenta amputação das falanges dos dedos, à motorzinho de dentista sem anestesia.
Confesso que achei chocante quando vi, não tem censura, não é algo que eles deixam de modo subjetivo para dar a entender, é explícito mesmo, eles mostram a tortura (quando o filme foi exibido na Rede Globo as imagens foram editadas de tão fortes).

Ele sobrevive aos dias de tortura e ganha a compaixão de uma agente do FBI que acredita nos Direitos Humanos, que segue a risca a Convenção de Genebra, mas que pouco a pouco passa a mudar de opinião ao ver o que realmente está acontecendo.

É um filme tendencioso? É sim, lógico que os EUA iriam puxar a sardinha pro lado deles e colocar o muçulmano como vilão e terrorista, mas o filme não trata disso, é algo além, não é sobre o estereótipo de quem é bom ou mau, de quem está certo ou errado.

Ele nos faz ficar com aquela pulguinha atrás da orelha que grita “Ei, você seria capaz de sacrificar um em favor de milhões?”. É nessa pulguinha que mora a questão principal do filme, o bem e o mal dentro do que é bem e mal no contexto de cada um de nós.

Ali não são limites humanitários que estão em jogo, são limites que vão além das leis, das convenções, do que está no papel, o que é (in) sensato e qual o preço disso?
Os fins justificam os meios? Muitas vezes sim, mas vale a pena?
E a compaixão, ela deve ir até onde?

É um filme extremamente reflexivo sobre ética, hierarquia, e no fim das contas nos mostra que a família é a base de tudo, que é o maior bem de um ser humano. E quem é nossa real família? Filhos, esposa, pátria?

E pra saber todas essas respostas ... só assistindo!

Moral do filme pra mim: Quem poupa o lobo sacrifica as ovelhas.

E pra quem se interessou, abaixo segue o trailler:


16 de abr de 2012

Cadê eu?

Cof cof cof ... quanta poeira!
É, eu não tenho aparecido aqui no meu próprio espaço, uma pena.
Tem faltado tempo, quem tem criança em casa sabe a loucura que é, minha filha aprendeu a andar, ela anda por todos os lados e eu tô quase correndo pra um hospício. É o dia todo atrás dela que não para meio segundo pra espirrar, e no fim do dia não dá pra ler, afinal o tempo que resta eu uso pra dormir.
E pior que isso, to durinha igual um coco seco, ou seja, até o fim do mês nada de comprar livrinhos novos (pq livros tem que ser tão caros?).
Ai juntando os dois motivos eu desapareci daqui, assim que tiver coisa nova pra postar eu venho, acredito que em breve lerei o famigerado Julieta Imortal, esperarei ansiosa.

Beijos para quem passar por aqui e uma boa semana
7 de abr de 2012

Quebra de confiança - Harlan Coben


Título nacional: Quebra de Confiança
Título original: Deal Breaker
Autor: Harlan Coben
Editora: Arqueiro
ISBN: 978-85-8041-003-7
Ano de lançamento: 1995
Lançamento no Brasil: 2011
Páginas: 271
Classificação:


No primeiro caso de Myron Bolitar, Harlan Coben nos faz mergulhar na indústria do sexo e nos negócios escusos por trás da contratação de grandes atletas.

Este é um momento importante na carreira de Myron Bolitar. Depois de agenciar alguns atletas pouco conhecidos, ele agora é o empresário de Christian Steele, a maior promessa do futebol americano de todos os tempos. Talentoso, bonito, centrado e carismático, tudo indica que o rapaz também poderá arrematar milhões em contratos de publicidade.

Mas, ao mesmo tempo que vive o auge na carreira, Christian enfrenta um drama na vida pessoal. Um ano e meio atrás, sua noiva, Kathy Culver, desapareceu subitamente e, exceto pelos fortes indícios de que tenha sofrido uma agressão sexual, a polícia não conseguiu descobrir nada sobre sua última noite no campus da Universidade Reston.

Prestes a ser contratado em uma negociação que pode ser a maior de todos os tempos em sua categoria, Christian recebe o exemplar de uma revista que traz a foto de Kathy em um anúncio de disque sexo. Além disso, o caso acaba de ganhar mais um ingrediente de terror: três dias atrás, Adam Culver, pai dela, foi morto em um assalto bastante suspeito.

Agora, com a ajuda de Win, seu melhor amigo, Myron tentará impedir que as notícias sobre a ex-noiva de Christian atrapalhem a carreira do rapaz e irá em busca da verdade – doa a quem doer.

Eu sou uma fã inveterada dos livros do Harlan Coben, ele consegue tecer uma rede de intrigas que me deixa de boca aberta no fim do livro.
Confesso que por esse ser o primeiro livro do personagem Myron Bolitar subestimei, subestimei feio e caí do cavalo, o livro superou minhas expectativas.

A palavra para descrever esse livro é: intenso!

Nessa história Myron está no início de sua carreira como empresário esportivo, e tem como principal cliente o mais novo astro do futebol americano, Christian Steele.
Há mais de um ano Christian tenta entender o sumiço da noiva Kathy Culver, e Myron não consegue dizer não quando o jovem assustado após receber o exemplar de uma revista pornográfica, com uma foto de Kathy em um anúncio, lhe pede ajuda para encontra-la e colocar um ponto final nessa história.

Myron conta com a ajuda de Win e Esperanza para driblar a rede de prostituição, indústria do sexo, segredos familiares, traição, intrigas e mentiras que é tecida ao longo da trama.

Junto à eles está Jéssica Culver, irmã mais velha de Kathy e ex-namorada de Myron, que se vê duplamente na obrigação de desvendar os fatos, já que Jéssica também pede sua ajuda, pois acredita que o desaparecimento da irmã e a morte do pai dias antes estejam relacionados.

Nessa busca frenética pela verdade, ninguém é o que aparenta ser, quando o segredo é revelado o nome do livro passa a fazer sentido para o leitor.

A narrativa tem diálogos fortes, cenas fortes. Todos personagens citados são essenciais para o desfeche com chave de ouro da trama.

Uma coisa que eu admiro no Harlan Coben é ele não subestimar a inteligência do leitor, os finais além de não serem previsíveis nunca são óbvios, nunca tem aquela coisa de “poxa, o tempo todo estava na minha frente o desfecho do caso e eu não vi!”, e eu admiro um autor que saiba deixar seu público impressionado e satisfeito, e não fazê-los de bobo com uma trama mais ou menos, e é exatamente isso que acontece aqui, plena satisfação com o final da história.

Kathy Culver está viva?
O que aconteceu para que ela desaparecesse?
A morte do pai tem alguma ligação com tudo isso?
Myron ficará com Jéssica?

São perguntas que fazemos ao longo do livro, e que você só terá a resposta se mergulhar de cabeça nesse suspense policial maravilhoso.

E aí, quem leu ou deseja ler, o que achou?