30 de mar de 2012

Túnel do tempo #2: O primeiro amor de Laurinha - Pedro Bandeira



Título nacional: O primeiro amor de Laurinha
Autor: Pedro Bandeira
Editora: Hamburg Donnelley
ISBN:978-85-16063-27-6
Ano de lançamento: 2001
Páginas: 110
Classificação:

Do primeiro amor, a gente nunca esquece... Laurinha, a deliciosa protagonista de O mistério da fábrica de livros, fez de tudo para a história do seu primeiro amor fosse eternizada em um livro. E aqui está esse livro, trazendo toda a magia da primeira vez em que alguém muito especial apareceu para despertar em seu coraçãozinho quase adolescente a magia do primeiro amor. Ilustrações de Walter Ono.

Novamente nossa protagonista é Laurinha, a mesma menininha doce, delicada e apaixonada de O mistério da fábrica de livros.
Lembra que ela queria eternizar sua história de amor com Adriano em um livro?
Lembra que tinha que ser com o mesmo papel do Meucalipto?
Então, esse é o livro que ela fez de presente para Adriano.

O clima é de recreio com chuva, e é durante esse recreio, em uma brincadeira proposta por Laurinha que Adriano entra em sua vida.
Um amor puro, intocado e inocente, aquele primeiro amor que as meninas provam, mas que enfrentará alguns probleminhas no meio do caminho.
O que você faria se sua melhor amiga se apaixonasse pelo mesmo garoto que você? Pior ainda, e se você acha que sua prima também gosta dele?
E se por estar tão confusa você acabar brigando com o garoto que gosta mas depois descobrir que tudo foi engano?
Então, Laurinha passa por tudo isso, todas essas emoções e desencontros até descobrir que...

Esse é o tipo de livro que fala sobre o primeiro amor, aquele amor que dá friozinho na barriga, que faz a gente querer ir pro colégio só pra ver o menino em questão, que faz a gente sonhar acordada, que arranca suspiros apaixonados.

A Laurinha sou eu, é você, é a minha prima, é a minha irmã, toda menina tem uma Laurinha dentro de si, toda menina já teve um coração de Laurinha, apaixonado, puro, delicado, jovial, que mostra pra todos nós a magia que jamais deve ser esquecida dentro de nossos corações.

Recomendo para todas as idades, assim como no Mistério da fábrica de livros, pode não chamar atenção do público adulto, mas tenho certeza trissoluta que ganhará o coração e fará com que todas meninas de até 12 anos suspirem por um amor igual ao dela.

Beijos e bom fim de semana

Julia
26 de mar de 2012

A promessa - Richard Paul Evans


Título nacional: A promessa
Título original: Promise me
Autor: Richard Paul Evans
Editora:
Lua de papel
ISBN:
978-85-63066-69-5
Ano de lançamento:
2010
Lançamento no Brasil:
2011
Páginas:
276
Classificação:

Enquanto estiver lendo a minha história, há algo que quero que compreenda.
Apesar de todo o sofrimento – passado, presente e que ainda virá -, eu não teria feito nada diferente. Nem trocaria por nada o tempo que passei com ele – exceto pelo que, afinal, eu troquei.


Beth Cardall tem um segredo. Durante dezoito anos, ela não teve escolha senão guarda-lo para si, mas, na véspera do Natal de 2008, tudo isso está prestes a mudar.

Para Beth, 1989 foi um ano marcado pela tragédia. Sua vida estava desmoronando: sua filha de seis anos, Charlotte, sofria de uma doença misteriosa; seu casamento transformou-se de uma relação aparentemente feliz e carinhosa em algo repleto de traição e sofrimento; seu trabalho estava por um fio e ela perdera totalmente a capacidade para confiar, ter esperanças e acreditar em si mesma. Até que, um dia extremamente frio, após atravessar uma nevasca até a loja de conveniência mais próxima, Beth encontra Matthew, um homem misterioso e encantador, que mudaria de uma vez só o curso de sua vida.

Quem é esse homem e como ele parece conhecê-la tão bem? Matthew a persegue incansavelmente, mas somente após se apaixonar perdidamente é que descobre seu incrível segredo, transformando sua forma de ver o mundo, assim como seu próprio destino nessa história de tirar o fôlego sobre como o amor é capaz de mudar todas as nossas perspectivas.

Primeiramente quero falar sobre a diagramação do livro que é linda.
Ao início de cada capítulo a página fica tomada por arabescos de flores, que segundo toda minha falta de conhecimento em botânica, devem ser sakuras, mas isso é só um chute.

Agora vou a história propriamente dita.

Beth Cardall é uma mulher com seus quase trinta anos, bonita, e que aparentemente tem uma vida feliz ao lado da filha e do marido, que por ser vendedor viaja demais.

Porém, em uma das voltas do marido ela descobre por meio de um bilhetinho cretino e vulgar encontrado na roupa dele, que ele a trai há um certo tempo.
Paralelo isso, a filha Charlotte de seis anos sofre de uma doença misteriosa que médico nenhum consegue diagnosticar com certeza.

Só que como pouca desgraça é bobagem – e no caso da Beth as coisas só tendem a piorar – além do marido traí-la, ele descobre que está com câncer em fase terminal e que só tem alguns meses de vida.

Em consideração a filha, Beth fica ao lado de Marc até o último suspiro, cumprindo seu dever de esposa até o fim.

Após a morte de Marc, Beth se fecha para o amor, se fecha de um modo tão cheio de amargura que ela não consegue mais confiar em ninguém, e é isso o que retrata o livro: esperança.

Quando tudo parece perdido e sem esperanças, na véspera de Natal Beth vai a uma loja de conveniência e não imagina que dali pra frente sua história será escrita de outra maneira.

Ela conhece Matthew, um jovem inteligente, simpático, moreno, olhos claros – o típico deus grego que todas pedem pra Santo Antônio.

Matthew é um homem apaixonante, e conforme o envolvimento deles cresce, o cuidado com Beth e Charlotte se torna cada vez maior, porém, uma coisa intriga Beth, o fato dele não se deixar entregar fisicamente a relação dos dois.

Ele surgiu de modo inesperado, o amor entre eles (mesmo sem consumação carnal, se é que me entendem) existe de um modo muito intenso, e é isso que torna o livro instigante.
Quando você descobre o segredo que Matthew carrega, e conseqüentemente A promessa, entenderá o porque e Beth passar a viver a vida tão intensamente ao lado do homem que ama e da filha, e as escolhas que ela faz passam a se encaixar.

A presença dele na vida de Charlotte e Beth não muda somente a vida delas, muda toda história, muda o futuro que estava reservado a mãe e filha.

É uma história fantástica, alguns filmes já usaram esse tema base em produções, mas jamais li algo do gênero que me convencesse tanto.
A leitura se desenvolve tão bem que dá pra ler o livro em uma tarde, são 276 páginas que passam voando.

Além dos arabescos que enfeitam cada novo capítulo, temos um fragmento do diário de Beth, e o trecho abaixo, segundo a minha opinião é um dos mais sábios.

"Ódio, ressentimento e raiva são parasitas que
se alimentam do coração até que não haja nada
para nutrir o amor."

Diário de Beth Cardall - página 57

Para quem deseja um livro de amor sem aquele drama adolescente, eu recomendo sim, a história poderia ter sido melhor desenvolvida, mas não dá pra ter tudo ao mesmo tempo.

Acredito que a simplicidade com que foi escrito o tenha tornado tão prazeroso, os personagens são bem construídos mas não são enfadonhos.

É um livro de extremos, você vai do céu ao inferno em segundos, e volta ao céu novamente.

Quando li a última frase, me deu um aperto no coração, um nó apertado na garganta, confesso que embora tenha amado o livro, e por ser mãe entenda as escolhas que ela fez em favor da filha, torcia por um final diferente.

Mesmo assim recomendo, é uma leitura agradável, instigante que você não consegue parar enquanto não termina, e depois do segredo ser descoberto, ahhh, aí você gruda mais ainda os olhos nas letrinhas e quer engolir o livro.

Abaixo, o book trailer pra você se encantar mais com a história.



E vocês, quem leu, gostou?

Beijos


24 de mar de 2012

Marcadores de páginas #2

Pesquisando marcadores de livros criativos encontrei um blog que tem os mais diversos, vale a pena visitar Happy Batatinha, tem uma variedade infinita de marcadores.

Esse aqui eu encontrei no site da Martha Stewart e
tem o passo a passo de como fazer uma gracinha dessas.

Esses dois tem aplicação em quilling, delicadeza mode on.

Eu não faço a mínima idéia do que esses são feitos,
mas esse elefante em madeira chamou muito minha atenção.

Esse além de discreto é criativo.
Parece ser feito de silicone e
a mãozinha indica certinho onde a leitura parou.

Adoro coisinhas feitas em feltro, tão delicadas,
o vasinho de flor acima e o coração abaixo são simples e criativos.


Os dois acima são da Etsy, adoro aquelas patinhas,
e se não fossem tão caras as compraria.

Não faço a mínima idéia de onde comprar esses acima,
mas achei a idéia interessante, parecem ser post it's personalizados,
dá pra marcar a página conforme os sentimentos que as últimas palavras transmitiram. Interessante.

Bom fim de semana para vocês.

23 de mar de 2012

Túnel do tempo #1


Do tempo que eu comecei a ler pra cá muita coisa mudou.
Hoje, se vamos ler um livro podemos consultar na internet opiniões sobre ele e aí sim decidir se queremos ler ou não – coisa que infelizmente no meu tempo não tinha.
Eu não sei ao certo que público de leitores procura um blog para se informar, mas lendo diversos blogs eu vi que toda leitura é voltada mais para o público adulto, e se ainda é permitido usar essa palavra, o público infanto-juvenil fica um pouco de lado e vejo que as opções de leitura pra essa faixa etária não são tãaaaao divulgadas.

Eu sempre gostei de ler, desde que aprendi, mas foi nessa fase infanto-juvenil que peguei gosto mesmo pela coisa, que comia um livro atrás do outro, livros que eram voltados para minha idade, e eu não encontro resenhas voltadas para essa idade (10, 11, 14 anos) nos blogs, aí me surgiu a brilhante ideia de fazer uma coluna semanal onde eu possa falar sobre esses livros que além de terem marcado a minha vida, eu recomendo de olhos fechados.

Como são livros que foram publicados há algum tempo, chamarei a coluna de Túnel do tempo.

Espero que gostem.

Título
: O mistério da fábrica de livros
Autor: Pedro Bandeira
Editora: Hamburg
ISBN: 978-85-16063-49-8
Ano de lançamento: 1988
Páginas: 88

Uma história que mostra o processo fascinante da produção de um livro junto com a emoção do primeiro amor de uma menina... Laurinha encontrara e agora via desfazer-se o seu primeiro amor. Um namoro inocente que havia sido registrado pela imagem de um coração entalhado a canivete no tronco de um eucalipto. Mas até o seu eucalipto tinha sido derrubado... Uma história vibrante e delicada, que entrelaça dois enredos: a história do amor de uma adolescente e a história da produção de um livro, o único veículo capaz de eternizar todas histórias de amor.

A princípio pode parecer que O mistério da fábrica de livros é um livro bobinho, mas não é.

Ele retrata a história de Laurinha, que vai a uma fábrica de livros acompanhar todo processo de produção de um livro, descobrir o passo a passo de como eles são feitos, desde a história saindo da cabeça do autor, a fabricação do papel, até a impressão total.
Mas paralelo a isso, nos conta uma envolvente, graciosa e pura história de amor, de uma garotinha apaixonada , que com grande imaginação quer eternizar seu amor em um livro e dá-lo de presente ao namorado.

É um livro voltado para o público infantil, no máximo até 14 anos, não é pretencioso de maneira nenhuma, é uma leitura rápida, divertida, com imagens fofas.
Para o público adulto pode não ser tão interessante, aliás, pode sim, pois não é todo mundo que conhece o processo de fabricação de um livro, mas o público alvo é mais jovem, retratando assuntos como o primeiro amor.

É uma leitura que vale a pena. Não tem malícia, fala de um amor infantil puro, intocado, e acredito que seja isso que faz a diferença.


Nos livros estamos todos nós, está a humanidade, estão os registros de tudo aquilo que somos, que amamos, que esperamos, que queremos transmitir ao futuro.”
- Pedro Bandeira -

Espero que tenham gostado.

Beijos
19 de mar de 2012

Desaparecido para sempre - Harlan Coben


Título nacional: Desaparecido para sempre
Título original:
Gone for good
Autor:
Harlan Coben
Editora:
Arqueiro
ISBN:
978-85-99296-70-7
Ano de lançamento:
2002
Lançamento no Brasil:
2010
Páginas:
318
Classificação:

No leito de morte, a mãe de Will Klein lhe faz uma revelação: seu irmão mais velho, Ken, desaparecido há 11 anos e acusado do assassinato de sua vizinha Julie Miller, estaria vivo. Embora a polícia o considere um fugitivo, a família sempre acreditou em sua inocência.

Ainda aturdido por essa descoberta e tentando entender o que realmente aconteceu com seu irmão, Will se depara com outro mistério: Sheila, seu grande amor, some de repente, e o FBI suspeita do envolvimento dela no assassinato de dois homens. Apesar de estarem juntos há quase um ano, Sheila nunca revelou muito sobre seu passado.

Enquanto isso, Philip McGuane e John Asselta, dois criminosos que foram amigos de infância de Ken, passam inexplicavelmente a rondar a vida de Will.

Para descobrir a verdade por trás desses acontecimentos, ele conta apenas com a ajuda de Squares – seu colega de trabalho em uma fundação de assistência a jovens carentes e proprietário de uma escola de ioga famosa ente as celebridades, o que lhe garante acesso a todo tipo de pessoas e informações.

Mestre do thriller de ação, Harlan Coben se supera nesta eletrizante história cheia de incriveis reviravoltas. Um suspense que mostra a busca pelo assassino, pela vítima e, acima de tudo, pela verdade.

Ao terminar de ler a última palavra da história e fechar o livro, minha vontade era sacudir as pessoas próximas e dizer "Você precisa ler essa história‼", mas me contive e vim fazer a resenha já que as informações estão fresquinhas na minha memória.

Esse é o típico livro que tem revelações bombásticas até a última página, sim, a última página do livro tem revelações.

Em seu leito de morte, a mãe de Will lhe faz uma revelação: Seu irmão Ken, desaparecido há mais de 11 anos e acusado pelo assassinato de Julie Miller - que em um passado distante fora o grande amor e a única ex namorada de Will – está vivo.

A polícia nunca teve provas suficientes para incrimina-lo, e baseados na ausência de provas e no amor que sentem por ele, a família sempre acreditou na inocência de Ken.

Após essa revelação Will se vê na obrigação de encontrar o irmão e descobrir toda verdade para que a mãe tenha o merecido descanso.

Mas as coisas começam a sair do controle quando ele começa por conta própria a investigar tudo sozinho.
Sheila, sua namorada e melhor amiga desaparece, deixando apenas um bilhete de despedida dizendo que o ama, e dias depois é encontrada morta, com sinais de tortura.
Will não sabia muito a respeito de seu passado, e para seu total desespero não sabe como agir quando as impressões digitais de Sheila são encontradas na cena de um crime do outro lado do país, no Novo México.

Com se não bastasse sofrer pela morte da mulher que ama, mas que ao mesmo tempo é uma completa desconhecida e não saber o paradeiro do irmão – que pode lhe esclarecer muitas dúvidas - Will ainda se vê perseguido incessantemente por Philip McGuane e John Asselta – mais conhecido como Fantasma – homens que no passado foram amigos de Ken, e que agora o perseguem e colocam a vida de todos ao seu redor em risco.

Will irá até as últimas consequências para enfim descobrir a verdade, arrancará coragem de onde ele jamais imaginou que existisse, e contará com o apoio de seu amigo Squares – que por conhecer pessoas influentes tem acesso a vários tipos de informações – e Katy Miller – a irmã mais nova de Julie, que presenciou o assassinato e quer de uma vez por todas colocar fim a todo sofrimento de sua família e ver o verdadeiro culpado atrás das grades pagando por seu crime.

Nessa caçada humana seguida de tragédias e mistérios sem respostas nada é o que parece ser, ninguém é o que diz ser.
É impossível prever o que acontecerá na página seguinte, o autor desafia nossa mente com os mistérios que introduz na obra, e quando achamos que está tudo descoberto e decifrado ele vem e muda todo curso da história.
É um livro de ação, tensão, é o tipo de leitura que você não consegue abandonar por mais que queira, você sempre quer saber o que está por vir e não se contenta enquanto não lê a última página.

"E de novo pensei no mal, nas formas que ele assume, em como nunca estamos realmente imunes à ele."
Página 311

Posso dizer sem sombra de dúvidas que é o melhor livro de ação que já li, tanto do gênero, quanto do autor.

Confesso, sou fã do Harlan Coben, de carteirinha, mas que os livros dele são ótimos isso é inegavél e não precisa ser fã pra afirmar.

Leitura mais que recomendada‼

E você, gostou? Então comenta‼

Beijos
18 de mar de 2012

Caixa de correio #2

Essa semana foi muito feliz - literalmente falando - chegaram livros fresquinhos, com cheirinho de novos para eu me deliciar.

E são eles:



A promessa
Richard Paul Evans








Desaparecido para sempre
Harlan Coben








Morte e vida de Charlie St. Cloud
Ben Sherwood








Quebra de confiança
Harlan Coben







Um homem de sorte
Nicholas Sparks



Agora é me acabar na leitura e esperar a próxima remessa!

17 de mar de 2012

Marcadores de páginas

Se tem uma coisa que eu detesto é livro amassado, não gosto de orelhas e nem marcas nos livros – pra ser sincera me dá pânico.
Também não gosto de marcar o livro com as abas, tenho a impressão que danifica a capa (ok, confesso que sou cricri de tudo com meus livros).
Já usei desde os marcadores que as livrarias dão de brinde, até fitinhas de cetim sem nada enfeitando, mas de uns tempos pra cá tenho olhado de modo diferente para os marcadores, afinal, marcar livro, qualquer coisa pode marcar, mas se o marcador for legal, fica bem mais interessante, e sim, eu acho legal ter um marcador de boa qualidade que vá me acompanhar sempre.
Pesquisando na net descobri uma infinidade de marcadores, é muita criatividade.

Feito com fio encerado, franja e continhas de plástico,
dá pra fazer em casa ou comprar pronto em feirinhas.

Esse passarinho parece ser de madeira,
mas não faço a mínima idéia de onde comprar um parecido. =(

Para quem não pode perder a hora,
esse além da variação de cores tem um cronômetro.

Maçã envenenada, passarinhos, varinha mágica,
marcadores de contos de fada, um verdadeiro luxo.

Da série faça você mesmo, esses aqui são super fáceis e práticos.

Extremamente vintage, delicado e feminino.
São fitas de veludo com acabamento.


Esse, também da série faça você mesmo, fica extremamente delicadinho e funcional.
Dá pra fazer com fitinha de cetim, viés, é só soltar a imaginação.

Esse, também da série faça você mesmo, fica extremamente delicadinho e funcional.
Dá pra fazer com fitinha de cetim, viés, é só soltar a imaginação.

Fiquei surtada nesse aqui, pra quem é fã do Sheldon Cooper, além do design clean,
é impossível não soltar um sorriso toda vez que ler Bazinga.

Depois dessa pesquisa, tenho certeza que encontrei algo novo para colecionar.

E vocês, com o que costumam marcar seus livros?

16 de mar de 2012

Même – Selinho de qualidade


Ganhei o selinho acima da Priscilla, adoro selinhos, são uma maneira divertida de você saber mais coisas sobre as pessoas, já que as "revelações" são sempre bem inusitadas.
Vamos as respostas:

Nome: Julia
Uma música: Aqualung - Brighter than sunshine

10 coisas sobre mim:

01 – Sou perfeccionista e chata, entre fazer mau feito e não fazer, prefiro não fazer pra não me culpar depois.
02 – Sou atéia há tantos anos que já perdi as contas.
03 – Sou quieta, porém observadora, mas basta puxar a conversa que eu destampo a falar.
04 – Além de ser maníaca por livros, sou maníaca por perfumes, bolsas e sapatos.
05 – Por falar em perfume, passo perfume e balm labial antes de dormir.
06 – Tento aprender a fazer crochê há anos, mais precisamente há 15 anos, e nunca consegui sair da correntinha, ponto alto e ponto segredo.
07 – Sou teimosa e se acho que estou com a razão não volto atrás.
08 – Tenho uma poodle de 7 anos que ganha festinha de aniversário anualmente, e que me faz chorar só na hipotese de perdê-la.
09 – Me casei nova (21 anos) mas não pq estava grávida, mas pq achamos que era o momento.
10 – Adoro fotografia, aliás, depois dos livros é minha segunda paixão, em dias que estou livre saio para fotografar e tenho uma queda por macrofotografia de joaninhas, um dia farei fotos como essas aqui.

Tenho que repassar o selinho para 15 blogs, mas não tenho tantos blogs amigos pra presentear, portanto, dedico esse même à todos que passarem aqui e quiserem responder.

Beijos
15 de mar de 2012

Melancia - Marian Keyes


Título nacional: Melancia
Título original: Watermelon
Autor: Marian Keyes
Editora: Edições BestBolso
ISBN: 978-85-779-165-5
Ano de lançamento: 1995
Lançamento no Brasil: 2003
Páginas: 489
Classificação:


Com este romance engraçadíssimo e irreverente, a autora irlandesa Marian Keyes conquistou milhares de leitores no Brasil e no mundo. A protagonista Claire tem 29 anos, uma filha recém-nascida e um marido que acabou de confessar o seu caso de mais de seis meses com a vizinha também casada.
Claire se resume a um coração partido, um corpo inteiramente redondo, aparentando uma melancia, e muita depressão, bebedeira e choro. Mas ela decide avaliar os prós e contras de um casamento desfeito depois de três anos e quando começa a se sentir melhor, o ex-marido reaparece para convencê-la a assumir a culpa por tê-lo jogado nos braços de outra. Claire vai recebê-lo, no entando reservará uma bela surpresa para o ex.

A primeira vez que vi esse livro na livraria me encantei com a capa, embora não goste de melancias – nem do cheiro, muito menos do sabor – achei interessante, um livro onde o título era o nome de uma fruta.
Porém, quando vi o preço, quase desmaiei, e confesso que se não fosse a iniciativa da Editora Record em lançar o catálogo BestBolso, eu não teria lido, mas quem resiste a um livro com a capa tão linda por apenas vinte reais?
Ele praticamente me chamava com as duas mãos, não resisti e tive que trazer, aliás, iniciei a leitura no meio do caminho.

Como dito na sinopse, Claire acabou de dar a luz e quando acha que o marido irá paparicar ela e a filha, toma um balde de água gelada na cabeça, sem rodeio nenhum (nenhum mesmo) ele diz que está tendo um caso com uma mulher também casada que mora em seu prédio, e que eles estão indo embora juntos. Delicado assim.

Desesperada, sem saber o que fazer ao sair do hospital, ela decide ir pra casa de seus pais em Dublin – Irlanda, e com a ajuda de uma amiga, faz as malas rapidamente ao ter alta do hospital e segue para casa de seus pais.

Já em Dublin somos apresentados a sua irreverente família, a família Walsh.

Sua mãe - que não cozinha nem sob tortura e faz todos se alimentarem de comida congelada nas principais refeições.
Seu pai – que passa aspirador de pó na casa há mais de 15 anos.
Sua irmã mais nova Helen – irritantemente convencida e crédula de que o universo gira em torno de seu umbigo.
E sua outra irmã mais nova Anna – que tem um bom coração, mas que tem sérios problemas com a realidade.

Amparada pela família ela vive seu perído de luto pelo fim do casamento.

O sofrimento dela é real, ela realmente amava aquele homem, aliás, todos os personagens são muito reais, e a Marian Keyes tem uma escrita incrível, ela faz você ser parte da história, é como se você e Claire fossem melhores amigas e ela estivesse contando tudo tim tim por tim tim pra você, nos mi-ní-mos detalhes, o modo como ela conta tooooooda desgraceira que aconteceu, não chega a ser uma comédia, mas arranca boas risadas de quem está lendo.
Frases do tipo “Garota, você não para de se mexer, por acaso está com uma pulga na calcinha?”, ou “Naquele momento eu deveria ter cortado minha língua fora com uma única dentada!” quebram o gelo da seriedade do assunto.

Confesso, que no início do livro, ao vê-la sofrer daquela maneira, eu queria que ele a procurasse, aliás, eu queria era dar uns tapas da Claire e fazê-la acordar para a vida, mas conforme a história se desenvolve, e você vê a superação da personagem, você quer mais que James vá pro raio que o parta.
Claire ficou muito tempo chateada, chorando, trancada em casa, e sua vida muda a partir do momento que ela decide se levantar, tomar um banho e lavar os cabelos, e se jogar na vida, enfim, fazer a limonada com o limão que a vida lhe deu.
As coisas melhoram muito daí pra frente – tanto no livro como na vida dela – ela decide cozinhar, e na noite que faz o jantar (pq lá só comida congelada, lembra o que eu disse sobre a mãe dela lá em cima?) Helen traz um charmoso amigo para jantar, Adam, o senhor perfeição.

Aliás, não é spoiler eu dizer que eles tem um breve “romance”, né?
Ambos gostam da compania um do outro, e Adam a faz se sentir bem consigo mesma, faz com que ela se sinta bonita, inteligente, simpática, atraente, sexy...

Ao virar de cada página a história vai tomando rumos diferentes do que você poderia prever, é uma leitura muito prazerosa com um enredo nada pretencioso mas que te prende, aliás, não vou mentir, ele te prende mais do meio para o fim, explico, do meio para o fim Claire tem que tomar decisões muito sérias, pq o marido idiota dela reaparece e você fica naquela ânsia de saber qual decisão ela irá tomar.
Será que ela vai perdoar a traição do marido?
Será que ela vai voltar com ele?

O livro é clichê com um final previsível (pelo menos com a minha “experiência” de vida ou meu dom de vidência eu pude prever o final), mas é um daqueles livros gostosos pra você ler quando quer dar um pouco de risada, quando quer ler algo descontraído.



P.S.: Só dei quatro corações pq embora tenha adorado o livro e o recomende, só fui me sentir presa à ele, do meio para o final, mas recomendo mesmo assim como boa leitura.
12 de mar de 2012

A arte de correr na chuva - Garth Stein


Título nacional: A arte de correr na chuva
Título original: The art of racing in the rain
Autor: Garth Stein
Editora: Ediouro
ISBN: 978-85-00-02256-2
Ano de lançamento: 2008
Lançamento no Brasil: 2008
Páginas: 303
Classificação:


Uma história de amor arrebatadora
E um comovente conto de redenção...
Como só um cachorro poderia contar.

Enzo sabe que é diferente dos outros cachorros: um filósofo com alma humana. Ele foi educado assistindo aos programas do National Geografic e ouvindo todos os conselhos de seu mestre e dono Denny Swif, um piloto de corridas. Por causa de Denny, Enzo adquiriu uma grande percepção da condição humana e aprendeu a administrar a vida como em uma corrida de Fórmula I, onde nem sempre a velocidade é a melhor estratégia.

As vésperas de sua morte, Enzo faz uma retrospectiva de sua vida, relembrando tudo que ele e a família passaram: os sacrifícios que Denny fez para ser bem sucedido profissionalmente; a perda inesperada de Eve, a esposa de Denny; a batalha do dono para conseguir a guarda da filha a quem os avós maternos fizeram de tudo para conseguir a custódia...
E, ao final, a chegada heroica de Enzo para preservar a família Swif.

A arte de correr na chuva é um livro modelado nos desejos e absurdos da vida humana. É uma emocionante história de amor, profundamente divertida e alegre, que cativará a todos.

Antes de mais nada, eu sou muito receosa pra ler livros onde a narrativa parte da vida de um animal, eles tem vida curta, e na maioria das vezes o final do livro é trágico e eles morrem, não gosto, prefiro ler livros onde não hajam mortes, assim me poupo de todo sofrimento e do coração estilhaçado, fora o pequeno rio de lágrimas que se forma ao meu redor de tanto chorar.

Se me é permitido resumir o livro em apenas uma palavra ela seria: emocionante.

O livro todo é narrado pelo próprio Enzo, fazendo uma retrospectiva de toda sua vida, todos os momentos felizes e tristes que o transformaram no cachorro que ele é.

Enzo assiste televisão o dia todo, e devido a isso adquiriu muito conhecimento, se ele fosse humano seria aquele tipo de pessoa que sabe conversar a respeito de qualquer assunto, e sem fazer feio, pq Enzo é extremamente inteligente.
Após assistir um documentário no National Geografic, ele tem plena certeza que sua próxima encarnação será como ser humano, como homem.
Religiosidades a parte, esse trecho é exatamente onde ele explica a fundamentação de que ele tornará como humano:

"Na Mongólia, quando morre um cachorro, ele é enterrado no alto de uma montanha para que as pessoas não possam andar sobre seu túmulo. O mestre do cachorro sussurra no ouvido do cão o seu desejo que ele volte como homem na próxima vida. Então, o seu rabo é cortado e colocado debaixo da sua cabeça, e um pedaço de carne ou gordura é colocado em sua boca para sustentar sua alma em sua jornada; antes de reencarnar, a alma do cão é libertada para viajar pelo país, para correr pelas planícies do deserto durante o tempo que quiser.
Vi isso num programa do National Geographic Channel, por isso acredito que seja verdade. Nem todos os cães voltam como homens, eles dizem; só os que estão preparados.
Estou preparado.”

Enzo não quer apenas ser humano na próxima vida, ele quer ser um humano culto, que sabe lidar bem com as palavras, pois uma de suas frustrações é não poder falar, é não poder ser ouvido, ele se sente preso em uma caixa a prova de som, onde ele ouve as pessoas, mas ninguém pode ouvi-lo.

E é assim, assistindo a programas da TV a cabo, vendo fitas de corrida que seu dono grava para rever depois, que ele passa seus dias adquirindo conhecimentos para a próxima vida.

Ao longo do livro ele vai contando como foi sua vida desde que Denny o escolheu em uma fazenda, como a amizade e o laço de cumplicidade deles se fortificou, o amor entre Denny e Eve, o nascimento da filha do casal Zoe – que se transforma em sua protegida – as dificuldades que Denny encontra para se tornar um piloto profissional, a tragédia que recai sobre todos eles e transforma suas vidas do dia para noite.
No decorrer do livro ele vai mesclando momentos de plena felicidade ao lado da família, com momento de tristeza e revolta, mas sempre deixando claro há uma saída digna e honesta para todos os problemas.
Se você não se ater que ele é um cachorro, você acaba se esquecendo e acredita que a narrativa é de um humano.

A amizade e fidelidade de Enzo a Denny e a Zoe é tão grande que faz o coração da gente ficar apertadinho tamanha dedicação e amor que ele sente por eles.

Dizem que o animal é o reflexo do dono, e isso fica muito claro no livro, pq Enzo além de ser apaixonado pelos programas da TV a cabo é apaixonado por corridas de Fórmula I, a natureza do animal pode ser boa, mas um dono de caráter ilibado e um bom coração farão com que o animal seja seu reflexo, e é isso que eu vejo, Enzo um cachorro de coração imenso, mas que é assim pq seu dono lhe ensinou a ser assim, lhe passando conceitos de respeito, caráter e amizade como se Enzo fosse seu filho e não seu cachorro.

Uma consideração final, é necessária uma alma muito leve, um coração muito aberto e uma sensibilidade muito aguçada para entender a alma de um animal dessa maneira, e transmitir de forma tão real e sincera os sentimentos deles, pq por trás daquele corpinho peludo, nariz de bolinha geladinho, rabinho abanando sem parar, há um coração que sente medo, saudade, amor, frio, incerteza, mas principalmente dor.

Uma história sobre amizade e fidelidade que vale a pena ler.

Jamais me esquecerei que " O carro vai para onde vão seus olhos."

Curiosidades:

- Inicialmente o nome não seria Enzo, seria Juan Pablo, mas posteriormente em homenagem ao fundador da Ferrari ele alterou o nome do protagonista para Enzo.

- Para compor o personagem de Denny, o autor pesquisou a vida do campeão Ayrton Senna e teve conversas com a irmã dele, Viviane Senna, afinal de contas, correr na chuva era uma de suas maiores habilidades.

E para finalizar, o trailler do livro, que é lindo!


11 de mar de 2012

Caixa de correio #1


Essa semana minha caixa de correio só não ficou vazia pq eu me presenteei com um livro que mesmo antigo, eu quero ler há tempos:

Melancia - Marian Keyes

Essa semana chegarão mais livros, e aí sim terei coisas legais para mostrar!!



9 de mar de 2012

Séries: Once upon a time



A série é livremente inspirada nos clássicos contos de fadas, exceto que se passam nos dias de hoje, daí o nome da série. As histórias contêm a chave do mistério que envolve uma mulher e seu filho que ela deu para adoção dez anos antes em uma cidade chamada Storybrooke, Maine em New England. Essa cidade é na verdade um mundo paralelo no qual personagens de contos de fadas parecem com pessoas normais e não lembram sua verdadeira identidade ou qualquer coisa sobre a sua vida verdadeira

Acredito eu, que toda menina tenha sonhado em ser princesa um dia, que toda menina sempre ouviu atentamente os contos de fadas, e que isso tenha transformado os momentos de ouvir essas histórias em momentos mágicos, afinal de contas, é isso que os contos de fadas são, contos mágicos.
Faço essa afirmação por mim, que sempre fui apaixonada por essas histórias e que assistia sem piscar O teatro dos contos de fada, apresentados pela Shelley Duval, quem se lembra?

Pois bem, o tempo passou, as histórias continuam as mesmas, mas agora eles estão muito mais intrigantes.
Afinal de contas, e se tudo fosse verdade mesmo?
E se houvesse uma Rainha Má, uma Branca de Neve e um Príncipe Encantado?
E se a Chapeuzinho Vermelho fosse uma garota cheia de confiança e sexy?
E se a Fera só tivesse medo de amar?
E se todos os personagens estiverem em uma cidadezinha receptiva, de nome simpático?

A história propriamente dita se inicia durante o casamento de Branca de Neve e o Príncipe Encantado, onde todos os personagens de todos os contos de fada estão reunidos para celebrar a união do casal.
A Rainha Má, que outrora fora sua madrasta, chega no meio da cerimônia e lança uma maldição que acabará para sempre com todos os finais felizes de todos os personagens.

Algum tempo depois, Branca de Neve, já grávida, está preocupada com a maldição, e decide procurar Rumpelstilskin, já que ele tem poderes advinhatórios e pode dizer como será o futuro.
A resposta é pragmática, ele diz sem rodeios que a Rainnha Má irá levar todos para um lugar terrível, onde os finais felizes não existem.
Ele lhe revela também, que a bebê que ela espera, ira retornar dali a 28 anos para quebrar a maldição e trazer os finais felizes novamente, inciando assim uma batalha com a Rainha.

Procurando uma saída para tudo isso, Branca de Neve e o Príncipe decidem seguir o conselho da Fada Azul, e Gepetto e Pinochio constroem um guarda roupas, feito de madeira mágica, para que Branca de Neve e a menina possam fugir da maldição da rainha.
Coincidentemente, no dia que Branca de Neve dá a luz, a Rainha decide lançar a maldição, e o guarda roupas não está totalmente pronto, e há espaço somente para uma pessoa, o Príncipe decide então colocar apenas o bebê recém nascido ali, mas ele é gravemente ferido, e a Rainha brada sua vitória, levando todos para um lugar desconhecido.

Atualmente, Emma vive solitária sem a companhia de ninguém.
Emma trabalha como fiadora e caçadora de recompensas, e em mais um final de dia, em seu aniversário de 28 anos, ao terminar de fazer o pedido e apagar a vela, surge em sua porta um menino, que sem rodeio nenhum se identifica como o filho que ela deu para adoção há dez anos atrás quando ainda era um bebê.

Preocupada e sem querer nenhum tipo de contato com o menino, Emma decide leva-lo de volta para sua casa, em Storybrooke.
Ao longo da viagem, Henry lhe mostra um grande livro de contos de fada, e explica à ela que todas as histórias são reais, chegando a cidade, ele informa que todos na cidade são personagens do livro, que foram exilados ali pela maldição da Rainha, e que não se lembram de seu passado.
Ele afirma que o tempo ali parou, e que as pessoas são incapazes de sair da cidade, e novas pessoas não conseguem entrar.
Mas que a maldição será quebrada, pois Emma, a filha de Branca de Neve e do Príncipe Encantado está ali após os 28 anos de maldição.
Emma entrega o garoto a mãe adotiva , que é a prefeita da cidade e por coincidência do destino é também a Rainha Má.
Porém, Henry foge novamente, Emma o encontra e decide ficar temporariamente na cidade.
E os ponteiros do relógio central, outrora congelados - pois o tempo ali havia parado, voltam a se mover novamente, movidos apenas pela presença de Emma.

E assim, em cada episódio passamos a conhecer os personagens da cidade e suas vidas, mas de um modo que nunca foi mostrado antes, em Once Upon a Time temos os bastidores dos contos de fadas.

Pra quem é fã de contos de fada, realidade fantástica e seres mágico, eu super recomendo.
Quem assiste, gosta?

Beijos
8 de mar de 2012

Confie em mim - Harlan Coben


Título nacional: Confie em mim
Título original: Hold Tight
Autor: Harlan Coben
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788599296462
Ano de lançamento: 2006
Lançamento no Brasil: 2009
Páginas: 320
Classificação:

Preocupados com o comportament cada vez mais distante de seu filho Adam – principalmente depois do suicídio de seu melhor amigo, Spencer Hill -, o Dr. Mike Baye e sua esposa, Tia, decidem instalar um programa de monitoração no computador do garoto.

Os primeiros relatório não revelam nada importante. Porém, quando eles já começavam a se sentir mais tranquilos, uma estranha mensagem muda completamente o rumo dos acontecimentos: “Fica de bico caladao que a gente se safa.”

Perto dali, a mãe de Spencer, Betsy encontra uma foto que levanta suspeitas sopbre as circunstancias da morte de seu filho. Ao contrário do que todos pensavam ele não estava sozinho naquele nite fatídica. Teria sido mesmo suicídio?

Para tornar o caso ainda mais estranho, Adam combina de ir a um jogo com o pai, mas desaparece misteriosamente. Acreditando que o garoto está correndo grande perigo, Mike não medirá esforços para encontra-lo.

Quando duas mulheres são assassinadas, uma série de acontecimentos faz com que a vida de todas essas pessoas se cruzem de forma trágica, violenta e inesperada.

Confie em mim é um suspense eletrizante, mas também um convite a reflexão sobre temas mais profundos. Neste livro Harlan Coben – vencedor de diversos prêmios e oresebça constante nas listas de mais vendidos de todo o mundo – aborda assuntos atuais, como a facilidade de acesso a informações na era da internet, e questiona os limites no relacionamento entre pais e filhos: quando é hora de intervir? Quando o melhor é simplesmente confiar? Até onde você iria para protger as pessoas que mais ama na vida?

Resenhar os livros do Harlan Coben é um desafio, pq ele sempre me deixa pensando, a história que ele conta sempre poderia ter sido real, poderia acontecer comigo, com um vizinho, com um amigo...
Ao terminar a última página do livro, me veio à cabeça um pensamento “Quem perde a confiança de alguém não tem nada mais a perder."

O início do livro é abrupto, logo de cara no primeiro capítulo temos um assassinato brutal cometido com requintes de crueldade.

A seguir temos histórias que vão se cruzando, e que no final se completam de uma forma que ninguém consegue imaginar, todas as pontas se unem, é inacreditável.

E o mais inacreditável é que todas as histórias tratam o mesmo assunto: confiança.
Algumas de um modo direto e sem rodeios, outras de um modo mais discreto, mas a base do livro é a confiança.

Na minha humilde opinião, é uma das tramas mais complexas do autor, o tema principal não é desenvolvido logo de cara, a história vai se revelando pouco a pouco.

Adam Baye havia sido uma criança alegre e feliz, porém, após o suicídio de seu melhor amigo Spencer Hill, ele se tornou um jovem recluso, apático e revoltado, ficando cada dia mais distante de sua família.
Seus pais não entendiam como isso poderia tê-lo afetado tanto, mas sabiam que de algum modo a morte do amigo o afetara diretamente a ponto dele se transformar em uma outra pessoa, que agora vivia em um mundo inalcansavél.

Preocupados, o Dr. Mike Baye e sua esposa Tia, decidem instalar no computador do filho um programa de monitoramento, inicialmente nos relatórios não consta nada de preocupante, até que uma mensagem muda completamente as coisas “Fica de bico calado que a gente se safa!

Enquanto isso, os pais de Spencer sofrem pela ausência do filho. Ron, o pai, mesmo com o coração triste quer seguir em frente, enquanto Betsy sofre desesperadamente a morte do filho.
Questões como “Aonde erramos?” e “Como não notamos tantas mudanças?” destroem o coração de Betsy, e em meio a tanta dor e sofrimento ela encontra uma foto do filho da noite do suicídio que levanta suspeitas sobre as circunstâncias em que ele morreu, ao contrário do que todos diziam, Spencer não estava sozinho naquela noite, teria sido mesmo suicídio?

Sem saber o que fazer e como agir, Betsy confronta Adam com a foto em mãos, mas o garoto afirma não saber de nada, e misteriosamente, naquela noite desaparece.

Preocupados e desesperados com o sumiço repentino do filho, seus pais não medirão esforços para encontra-lo e trazê-lo de volta pra casa em segurança.

Enquanto isso, a chefe de investigações Loren Musse, lida com o preconceito dos investigadores que consideram inadequado uma mulher ocupar tal cargo, porém, de modo inteligente ela vê a ligação de dois casos distintos – uma aparente prostituta assassinada e uma dona de casa desaparecida – e resolve investigar.

Em dado momento da narrativa, todas as histórias irão se fundir de maneira brutal, trágica, e inesperada. Por consequência de um único ato, destinos serão alterados para sempre.

Histórias paralelas aos poucos vão surgindo, e mostrando sua importância na narrativa.

Além das histórias acima citadas, conheceremos Yasmin, uma doce e alegre menina - criada apenas pelo dedicado pai Guy Novak - que por um infeliz incidente com um professor, tem todo seu comportamento alterado, já que esse incidente transforma a vida da menina em um inferno, virando tudo de cabeça para baixo.
Também temos Dante e Susan Loriman, que correm contra o tempo para encontrar um doador de rim compativel para o filho Lucas, ao ver o filho a beira da morte Susan coloca a prova um dos maiores segredos de sua vida.

O final é inesperado, mas muito bem trabalhado, tudo se encaixa perfeitamente.

Como eu já disse é um livro sobre questionamentos e confiança, até onde os pais podem ir para proteger os filhos, até onde dar asas e quando interferir?
Nessa narrativa vemos de perto até onde o amor dos pais pelos filhos vão, e mais que isso, vemos até onde o amor de um filho pelos pais pode chegar.
Até onde você iria, de que você abriria mão para proteger aqueles que ama?

É uma leitura interessante e que vale a pena, uma vez que os livros do Harlan Coben são sinônimo de sucesso e bom entretenimento!
6 de mar de 2012

Séries: Castle


Nome: Castle
Categoria: Policial, Ação/Aventura, Suspense, Comédia
Exibição: AXN - Quarta - 22:00 (episódio inédito)


Castle é um seriado baseado em um famoso escritor de histórias de assassinatos que ajuda a polícia de N. York a solucionar crimes inspirados em seus livros. Richard Castle está sofrendo um bloqueio criativo depois de matar o principal personagem de seus livros e encontra dificuldades em criar um substituto. O escritor tem tudo: dinheiro, fama e mulheres, mas começa a repensar quando um assassino real se inspira nos seus livros. A ajuda dele à polícia de N. York faz com que ele conheça a Det. Beckett, para quem ele começa a olhar de um jeito diferente. A dinâmica entre os dois funciona com o jeito conservador e sério dela contraposto ao humor e inconsequência dele, trazendo cenas de comédia com isso.

Imagine um escritor de romance policiail bem sucedido, rico, bonito, sexy, carinhoso, engraçado, bom pai, bom filho, e que está em crise.
Imaginou?
Então, o nome dessa figura é Richard Castle, que após matar seu principal personagem policial precisa de uma nova musa inspiradora e por ter bons contatos consegue se “inflitrar” no departamento de polícia de N.Y.

Mas nem tudo são flores, e a história propriamente dita se inicia quando um de seus fãs decide dar, digamos assim, vida, à um de seus livros, cometendo um assassinato e montando a cena do crime exatamente como descrito em seu livro.
Lógico que ele virou suspeito, lógico que ele foi interrogado, e é lógico que ele não era o assassino.
Ao concluir que Castle não é o assassino em questão, ele ajuda a detetive Kate Beckett a solucinar o caso.

Como já dito acima, ele tinha bons contatos, e após ser alvo da investigação e precisando de uma nova musa inspiradora, ele conversa com o prefeito da cidade - que é um amigo - e consegue permissão para acompanhar a detetive Beckett em seus casos.
Em pouco tempo Castle e Beckett se tornam amigos, e na companhia de Tony Esposito, Tony Ryan eles saem por N.Y para solucionar os crimes cometidos na cidade.
Além de lidar com a solução de crimes, Castle tem que rebolar pra lidar com a mãe, Martha Rogers, uma aspirante a atriz chiquérrima e maluca, que o ajuda na criação da neta, Alexis, que por sua vez é o juízo em pessoa.

Pouco a pouco Castle e Kate vão se apaixonando, mas nenhum dos dois dá o braço a torcer, a conexão deles é tão sintonizada que um consegue completar o pensamento do outro, porém, sempre naquela tensãozinha sexual básica, embora nunca tenha acontecido nada entre eles.

Pra quem gosta de mistério misturado com comédia, Castle é um prato cheio, já que a seriedade e o racionalismo da dupla são exclusivos de Beckett, que pouco a pouco vai se soltando se permitindo.

As mais diversas aventuras, o mais diferentes casos de homicídio a serem solucionados, as piadinhas mais infames, e o real significado do que é amizade e companheirismo fazem de Castle uma série sensacional.


5 de mar de 2012

Alta tensão - Harlan Coben


Título nacional: Alta Tensão
Título original: Live Wire
Autor: Harlan Coben
Editora: Arqueiro
ISBN: 978-85-8041-021-1
Ano de lançamento: março de 2011
Lançamento no Brasil: 2011
Páginas: 272
Classificação:

Uma mensagem anônima deixada no Facebook da ex-estrela do tênis Suzze T. põe em dúvida a paternidade de seu filho.
Grávida de oito meses, ela pede a ajuda de seu agente e amigo Myron Bolitar para descobrir o responsavél por essa intriga e trazer de volta seu marido, o astro do rock Lex Ryder, que saiu de casa de ler o texto.

Descobrir o paradeiro de Lex não é tarefa difícil para um ex-agente do FBI. Mas, na mesma boate onde o encontra, Myron é surpreendido ao ver Kitty, a mulher que fugiu com seu irmão, Brad, e o afastou para sempre da família.

Tentando ajudar a amiga e reencontrar o irmão mais novo, Myron se vê preso numa rede de segredos obscuros que põe em risco as pessoas que ele mais ama. Agora, só a verdade poderá salva-las. Mas, para que ela prevaleça, nehuma mentira pode restar – seja ela de Suzze T., Kitty, ou do do próprio Myron.

Nesta premiada história, Harlan Coben mais uma vez consegue construir uma trama envolvente, que fala dae fama, gaância e rivalidade, e surpreende por seu toque humano.

Na aventura mais difícil de Myron Bolitar, seu passado vem à tona e, junto com ele, feridas que jamais se fecharão.

Primeira pergunta de todas que eu tenho:

Como que o Harlan Coben consegue escrever essas histórias todas, de onde vem tanta imaginação?
Perguntas à parte, posso resumir o livro em uma única palavra: tenso!

Meus queridinho Myron Bolitar e Win tem mais um caso para resolver, mais pessoas para ajudar.
E nessa trama não é somente Suzze T. que precisa de ajuda, as respostas que ele encontrar o ajudarão a encontrar seu irmão mais novo, que sumiu do mapa há mais de 15 anos.

Suzze T. é uma ex tenista de sucesso, agenciada por Myron, e casada com o astro de rock Lex Ryder, que além de ser astro do rock é um dos donos e fundador da famosa banda HorsePower.
Grávida de oito meses, Suzze T. posta no Facebook a foto da última ultrassom que fez, e apenas um dia após ter postado a foto do filho, recebe um comentário com duas palavras que põe em dúvida a paternidade da criança, “não é dele”.
Lógico que isso vai causar atrito entre o casal, e sem falar nada, Lex sai de casa e vai para um lugar onde não pode ser perturbado.
Preocupada com a situação, Suzze decide pedir ajuda á seu amigo, agente e também detetive nas horas vagas, Myron Bolitar.

Após o pedido da amiga, Myron sai em busca de Lex, e encontra-lo foi extremamente fácil, a única coisa com a qual ele não contava nessa história toda é encontrar “por acaso”, na mesma boate onde estava Lex, alguém que ele não via há muitos anos.
A pessoa é nada mais nada menos que Kitty Bolitar, sua cunhada, com quem há 16 anos atrás teve um grande desentendimento e com quem não falava desde então.
Reencontra-la traz imediatamente diversas lembraças a Myron, como "porque a cunhada e o irmão estavam de volta após tantos anos?", "porque ela não estava acompanhada do marido na boate?", "porque eles não entraram em contato com os pais de Myron?".

Será que a volta de Kitty e Brad (o irmão de Myron) teria alguma relação a ver com a mensagem deixada no Facebook de Suzze, uma vez que no passado Kitty foi uma grande rival de Suzze nas quadras?
E Lex, será que também estaria envolvido de algum modo nessa história toda?

Em uma corrida frenética contra o tempo e com a ajuda de Esperanza – que está com o casamento ruindo – e Win – que além de Mee, agora tem uma nova “amiguinha” – eles vão atrás de respostas para que o quebra-cabeças se resolva o quanto antes, e para que Brad tenha a oportunidade de falar com seu pai, por quem sabe, a última vez.

Pra quem busca um livro que tenha ação, aventura, suspense, frio na barriga, romance e sabe-se lá quais outros elementos (pq o Harlan tem o dom de misturar todos em apenas um único livro) eu super recomendo.

A leitura é frenética e você não consegue parar enquanto não chegar o final.

Curiosidades:

- Para quem não sabe, ele é a sequência de “Quando ela se foi”, e a série “Myron Bolitar” é composta por dez livros, sendo eles:

1 – Quebra de confiança
2 – Drop Shot
3 – Fade away
4 – Back spin
5 - One false move
6 – The final detail
7 – Darkest fear
8 – A promessa (Promisse me)
9 – Quando ela se foi (Long Lost)
10 – Alta tensão (Live wire)

- No EUA já foi lançada uma série de livros estrelada por Mickey, o sobrinho de Myron, que tem o mesmíssimo talento para se meter em investigações.

Para quem for iniciar a leitura dele, desejo fôlego, pq os livros do Harlan são de deixar a gente sem ar.